Coletores conforme resolução COMANA 275/01

Saiba o motivo de vários coletores identificados e diferenciados por cores para a coleta seletiva?

Vejamos as considerações da Resolução CONAMA 275/2001:

  • ... a reciclagem de resíduos deve ser incentivada, facilitada e expandida no país, para reduzir o consumo de matérias-primas, recursos naturais não-renováveis, energia e água;

  • ... a necessidade de reduzir o crescente impacto ambiental associado à extração, geração, beneficiamento, transporte, tratamento e destinação final de matérias-primas, provocando o aumento de lixões e aterros sanitários;

  • ... as campanhas de educação ambiental, providas de um sistema de identificação de fácil visualização, de validade nacional e inspirado em formas de codificação já adotadas internacionalmente, sejam essenciais para efetivarem a coleta seletiva de resíduos, viabilizando a reciclagem de materiais.

Vejamos agora o artigo primeiro desta Resolução:

Art.1: Estabelecer o código de cores para os diferentes tipos de resíduos, a ser adotado na identificação de coletores e transportadores, bem como nas campanhas informativas para a coleta seletiva.

Deste modo a padronização de cores é imprescendível para a correta separação de materiais recicláveis, para a Coleta Seletiva de Resíduos e como consequência para a Reciclagem.

Perceber os problemas ambientais gerados pelo lixo, desde as consequência para a saúde pública, a poluição e a destruição dos recursos naturais, é o primeiro passo para a conscientização ambiental e para que cada um de nós se situe como gerador de resíduos, e portanto parte do problema.

Assumir a corresponsabilidade, instituída por lei, para efetivamente realizar a correta destinação que cada um de nós deve dar às sobras, restos, descartes, embalagens, entulhos, aparas e outros materiais gerados em qualquer uma de nossas atividades e em qualquer lugar.

Também devemos descaracterizar a palavra LIXO como sinônimo de tudo e qualquer material que passa pelas nossas mãos e julgamos não ter mais serventia, fazendo-nos imaginar que o melhor destino é mesmo o caminhão de lixo para que, como mágica, tudo desapareça da nossa frente. Certamente estamos nos enganando pois, por mais que pareça que o problema esteja resolvido criamos outros maiores para nós e para as futuras gerações.

Devemos adotar a palavra RESÍDUOS e, com base na consciência ambiental e na corresponsabilidade, separar corretamente todos os materiais recicláveis e que estes voltem para a indústria como matéria prima, assim colaborando com a redução da extração de recursos naturais, sejam eles renováveis ou não.



MAS, NA PRÁTICA, O QUE DEVO SABER SOBRE OS COLETORES DE RESÍDUOS PARA A EMPRESA?

  • ÁREA ADMINISTRATIVA  E DE VENDAS

    Tendo como base os 5 Sensos da Qualidade, minha sugestão é pela padronização de apenas um conjunto de coletores para disposição central e com acesso facilitado para todos os colaboradores, clientes e equipe de limpeza.
    Portanto, um conjunto de coletores para cada setor, definidos previamente conforme a necessidade e a quantidade média dos resíduos gerados em cada setor.

    Além da referência aos 5S´s, da economia com o custo de coletores individuais, a nova situação de apenas um conjunto de coletores no ambiente de trabalho fará com que os colaboradores assumam a responsabilidade pela correta separação dos resíduos, bem como que, a equipe irá conscientizar os novos integrandes na boa prática implantada.

    Também, temos que levar em conta o trabalho de coleta da equipe de limpeza e conservação que será facilitada e menos onerada com insumos, tempo e mão de obra para a realização da coleta.

     

  • TIPOS DE COLETORES PARA RESÍDUOS:
    No mercado existem várias opções de coletores, mas leve em consideração os seguintes detalhes: Antes de comprar coletores, verifique se não há na sua empresas bombonas plásticas de produtos que são descartados e que poderiam ser reutilizados ( REUSO ) para este fim. Os coletores não devem possuir tampas ou basculantes para acesso, ser de fácil limpeza e não precisam ter obrigatóriamente as cores dos resíduos que irão receber.
    Coletores para resíduos plásticos e para orgânicos, que certamente receberão materias úmidos ou com restos de bebidas ou alimentos deverão receber sacos plásticos para manter a limpeza dos coletores, portanto dever-se-á pensar nas capacidades de sacos plásticos para estes coletores que "vistam" adequadamente os coletores e evitando que fiquem soltos ou necessitem de outro meios para fixação.

  • IDENTIFICAÇÃO DOS COLETORES PARA RESÍDUOS:

    Não basta apenas a identificação do coletor com a cor e a descrição do resíduo, conforme determina a lei, mas o detalhamento dos resíduos é muito importante para chamar a atenção dos colaboradores para a coreta segregação. Acredito que os exemplos acima estão adequados para possibilitar uma melhor segregação dos resíduos.
    Tomar muito cuidado com a qualidade dos adesivos para serem aplicados nos coletores. Verificar a qualidade da cola e mais importante ainda a qualidade da impressão solicitando a garantia que não irão desbotar com pouco tempo de uso, ou pior, se descolar dos coletores.


  • RESÍDUOS MAIS COMUNS:

    Papel, plásticos e orgânicos* caracterizam-se como os mais comuns em todas as áreas e portanto deve-se prover coletores para estes resíduos.

    Certamente outros resíduos de menor quantidade se façam presentes nos setores administrativos e de vendas, mas completamente contornáveis com a instalação no conjunto de coletores de mais um coletor para descarte de recicláveis para posterior separação, como: potes de vidros, grampos, latas diversas, demais peças metálicas, equipamentos eletro-eletrônicos, peças de informática, pilhas e baterias, caixas de papelão, banners e outros.

    A equipe de limpeza deverá ser orientada para a coleta e encaminhamento destes materiais para o Depósito Intermediário de Resíduos ( DIR ), onde deverão ser separados corretamente.
    Caso a sua empresa queira ir fundo na questão da coleta de resíduos, até mesmo pela questão sustentável, ou exigência de representantes, outros coletores podem ser disponibilizados em locais definidos, como: Bituqueiras para fumantes, por lei estas não poderão estar no ambiente de trabalho e sim em local de uso público ( rua ). Bitucas são recicláveis. Coletores para óleo de cozinha usado, coletores para pilhas e baterias. Em Curitiba há associações que coletam todos estes resíduos e os destinam corretamente. Dependendo dos produtos comercializados em sua empresa, existe também a exigência de coletores específicos para a logística reversa, como é o caso de óleo lubrificante usado e pneus.

    * Orgânicos: Apesar de ser usual, o termo orgânicos para definir vários tipos de resíduos, que ainda não são passíveis de reciclagem, causa indignação no meio acadêmico, visto que resíduos orgânicos deveriam ter como destinação a compostagem para que estes se transformem em adubo. Na prática, para a coleta seletiva, os resíduos depositados nestes coletores tem como destinação a coleta pública de lixo e destinação para aterro industrial justamente pelo fato de, ainda, não haver tecnologia para a reciclagem ou custo elevado de logística.

  • INSUMOS PARA A COLETA:

    Para a Coleta Seletiva de resíduos, além dos respectivos coletores, há a necessidade de sacos plásticos nas cores dos resíduos a serem coletados. Tal motivo justifica-se simplesmente para que os resíduos previamente separados pelos colaboradores não sejam misturados pela equipe de limpeza e continuem separados no DIR aguardando a respectiva empresa coletora de resíduos, devidamente documentada e autorizada, proceda a coleta e destinação final destes.
    Não há a necessidade de sacos plásticos para resíduos como vidros, metais e madeira devido as características e cuidados necessários com cada um deles. Vidros devem ser embalados para o descarte, para madeiras e metais o mais conveniente para transporte até o DIR são caixas de papelão. Certamente no Depósito Intermediário de Resíduos, tais resíduos devem ser acondicionados e armazenados conforme as normas técnicas previstas pela ABNT e discriminados nos respectivos PGRS - Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos que é o documento ambiental formal para as empresas.

  • EQUIPE DE LIMPEZA - COLETA INTERNA:

    A equipe interna que realizará a coleta dos resíduos nos setores internos à empresa devem necessáriamente utilizar os devidos EPI´s de proteção.
    Devem também prezar pela economia dos insumos. Quando da coleta, devem levar sacos plásticos de maior capacidade para fazer o transbordo dos coletores e reutilizarem os sacos menores caso não se apresentem danificados ou com sujidade. Devem também levar panos e detergentes para a limpeza dos coletores quando necessário.



Coletores para as áreas produtivas serão apresentados em breve!
Precisando de ajuda, ligue já! Estamos à disposição.

Contatos: (41) 3598.6964 (41)99956.9964 [email protected]

Avaliação do Usuário: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa